segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo


Ola Gentee

Estou desejando a todos voces que sempre aparecem por aqui um feliz ano novo, que em 2010 possamos trocar mais informaçoes sobre literatura.
bjs...

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Saga Crepúsculo





Ta bom, eu tinha prometido pra mim mesmo que nao lería a saga crepúsculo, mas não resisiti e estou lendo, ja estou em Lua Nova e espero ler os outros dois ainda este ano.

Leitura bem facil, agradavel, mas... juvenil, por isso não me agradou muito.


Mas irei ler todos!
Até a proxima!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Novos livrinhos


Minha mais nova compra, Garota Infernal..Não gostei muito do filme, vamos ver como será o livro. Tambem ganhei alguns livros da editoras essa semana, uma gramática da língua portuguesa, com as novas mudanças de ortografia, um dicionário da saraiva, potugues-Espanhol, e um livro didático de Espanhol.



Amei tudo!

sábado, 7 de novembro de 2009

Aniversário

Olá gente, esse mês meu blog esta fazendo um ano. Ainda é bem novinho, mas logo logo terá um mundo de informações e livros para vocês. Agradeço as visitas, os comentários e todas as pessoas que passam por aqui para lerem as dicas que deixo fazendo meu blog crescer a cada dia, nem mesmo imaginava que chegaria em um ano depois de vários blogs que comecei e desisti logo em seguida. Obrigada a TODOS e ate a próxima dica!

O Diabo veste Prada



A primeira vista não tinha gostado muito do livro, para mim era apenas mais uma história. Mas com o passar da leitura pude perceber a maneira de como a escritora conseguiu transportar o cansaço, estresse e agonia da personagem Andrea.
Realmente quanto mais eu lia, mas eu ia me cansando com a personagem, quanto o telefone tocava ja me amedrontava assim como a Andrea, sentia a dor dos pés de Andrea com os saltos 10cm. A partir dai comecei a gostar do livro, porque penso que a autora gostaria de passar esses sentimentos aos leitores.
O livro beeeem diferente do filme, muitas histórias foram distorcidas para o filme, o que não gostei nenhum pouco.

_________________________________________________________________________

O Diabo veste Prada é uma história de uma recém-formada em jornalismo chamada Andrea que vê uma grande oportunidade em trabalhar em uma revista de moda.
Andrea nem mesmo suporta moda, adora seu moleton, mas acha que entrando nessa revista, que tem uma editora (Miranda) super conceituada, terá oportunidade de entrar para o New York Times depois de um ano de experiência com Miranda.
Nesse tempo Andrea passa por diversas situações de provação, como conseguir o livro de Harry Potter um dia antes de ser lançado, procurar um movel em uma casa de antiquidades que Miranda viu mas que ela não se lembra onde, providenciar seu café da manhã e almoço todos os dias, cuidar das roupas sujas e atender todas as ligações de Miranda não importando a hora nem o dia da semana até mesmo providenciar um jatinho quando nenhum avião tem a permissao de decolar por mal tempo.
Miranda inferniza as vida de suas assistentes, principalmente Andrea porque observa que ela tem um grande potensial.


Recomendo a leitura desse livro SIM!!!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A Cabana


Estou lendo A CABANA e ainda nao sei se indicarei esse livro, mas um simples trecho me chamou a atenção e gostei muito.

O Livro se refere a um pai que tem sua filha sequestrada e morta, ele passa por muitos anos sofrendo pela perda de sua filha e se distancia de Deus, pois não acredita como Ele possa ter deixado sua filha tao pequena morrer dessa forma tão cruel.
Um certo dia ele recebe um bilhete em sua casa pedindo para que retorna ao local do crime ( A cabana). O bilhete e assinado por PAPAI! Isso lhe faz acreditar que o próprio Deus tenha lhe mandado o recado.

Em um fim de semana vai ate a cabana e tem um encontro com Deus.

¬¬
Enfim no meio dessa conversa esta o pequeno dialogo que gostei muito:

- Só pensei que você teria uma aparencia melhor.
- De acordo com que padrão? De qualquer modo, quando você me conhecer melhor, isso nao vai importar.
(pg 102)

Essa conversa é com Jesus. Mack ( o pai da menininha morta) nao acreditava que Jesus não tinha aquela aparencia branca, de olhos claros, e muito bonito.
Sim minha gente, Jesus era feio mesmo, esta na biblia! Era justamente para que as pessoas nao viessem a ele pela beleza e sim pelo que ele representava.


"Crescer significa mudar e mudar envolve riscos, uma passagem do conhecido para o desconhecido"
(Autor Desconhecido)

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Titãs e Paralamas

video


Pela primeira vez postei um video, mas valeu a pena! Não reparem nas imagens, meu celular não estava afim de gravar uma boa imagem. Vale a pena escutar uma das maravilhosas MÚSICAS que esses dois grupos cantaram.

Esse show marcou aqui em Manaus!



MARAVILHOSO!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A menina que roubava livros




Demorei quase um ano para ler esse livro. Ja tinha comprado logo no final de 2008, mas emprestei e fui lendo outros livros ate entao.
Lembrei da menina que roubava livros em uma viagem para Belém -PA, duas horas (eu acho) era tempo de mais dentro de um aviao e nada melhor que um bom livro para nos acompanhar em viagens.

A história realmente nos prende e nos encanta!

Livro recomendado!

¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬

Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em A Menina que Roubava Livros, livro há mais de um ano na lista dos mais vendidos do The New York Times. Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade desenxabida próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido da sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, O Manual do Coveiro. Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro de vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes. E foram estes livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte.
O gosto de
rouba-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seriam mais tarde aplicadas ao contexto a sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigo quase invisível de quem ela prometera jamais falar. Há outros personagens fundamentais na história de Liesel, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e o namorado que ela nunca teve, ou a mulher do prefeito, sua melhor amiga que ela demorou a perceber como tal. Mas só quem está ao seu lado sempre e testemunha a dor e a poesia da época em que Liesel Meminger teve sua vida salva diariamente pelas palavras, é a nossa narradora. Um dia todos irão conhece-la. Mas ter a sua história contada por ela é para poucos. Tem que valer a pena.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Connexions





Como faz um bom tempo que nao apareço por aqui, resolvi postar esse método de frânces.

Ja tinha trabalhado com ele antes e agora terei oportunidade de conhecer o livro II, to super anciosa pra pegar meu livro nas mãos e dar um bom cheiro nele, pois adoro cheirar livro!!!!


Eu recomendo esse método para que quer estudar frances, e facil, moderno e super dinâmico.



bjs e ate aproxima!

terça-feira, 21 de julho de 2009

O que faz bem pra minha saúde!







Acho a maior graça. Tomate previne isso,cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas não exagere...

Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos.

Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.

Prazer faz muito bem.
Dormir me deixa 0 km.
Ler um bom livro faz-me sentir novo em folha.
Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois rejuvenesço uns cinco anos.
Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro, volto cheio de idéias.
Brigar me provoca arritmia cardíaca.
Ver pessoas tendo acessos de estupidez me
embrulha o estômago.
Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano.
E telejornais... os médicos deveriam proibir - como doem!
Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo,
faz muito bem! Você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada.
Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde!
E passar o resto do dia sem coragem para pedir
desculpas, pior ainda!
Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mussarela que previna.
Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau!
Cinema é melhor pra saúde do que pipoca!
Conversa é melhor do que piada.
Exercício é melhor do que cirurgia.
Humor é melhor do que rancor.
Amigos são melhores do que gente influente.
Economia é melhor do que dívida.
Pergunta é melhor do que dúvida.
Sonhar é melhor do que nada!a
que nada!

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Uma breve hist´ria do seculo XX






No início estava achando uma leitura dificil e confesso que me dava ate sono ao ler o livro, mas ao dobrar algumas páginas a história começou a chamar minha atenção...Sim, história mesmo, pois o livro nao e um romance, ficcção ou auto-ajuda e sim um relato da historia mundial e suas transformações no século xx.

" A Malária chegou ao limite dos trópicos, sendo que ate mesmo o sul da Italia estava infestada de mosquitos que transmitiam a doença: a palavra malária entrou na língua inglesa por causa da Italia, onde mais de 12 mil pessoas morriam anualmente da doença no inicio do século." ( pg 33)
Esse fato teria ocorrido por volta de 1900, hoje essa doença ja nao existe mais...Pelo menos por la neh, porque em pleno ano de 2009 a malária ainda existe em nosso país assim como a dengue...
UM ABSURDO!!! nada é feito pra combater essa doença de países de terceiro mundo, falo isso porque peguei, esse mes, essa maldita doença e dão um remedio que te deixa pior ainda por um bom tempo...afff, fico impressionada com isso!

(Pg 39) Fala sobre o Amazonas no inicio do seculo xx com o aparecimento do Bonde que veio para melhorar a cidade que antes era movimenta somente pelos barcos e canoas, fala sobre o teatro e influencia da cultura europeia na nossa cidade.

O Livro traz muitas informações interessantes e importantes, to gostando de ler, apesar que ainda falta muito, mais muito, muito mesmo pra acabar de ler.



Por enquanto fica essa dica de livro!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

A Cidade do Sol




“A Cidade do Sol” do autor afegão Khaled Hosseini (mesmo autor do best-seller “O Caçador de Pipas”) é um livro literalmente visceral – em todos os sentidos – não porque todo mundo anda comentando, mesmo aqueles que só compraram livros para servirem como absorventes de sovaco, mesmo porque ele vai virar filme, mas porque o livro não é mais uma obra que conta histórias de homens e mulheres da terra dos talibãs – mesmo porque já fiz uma resenha esse ano de um outro igualmente visceral, “Queimada Viva” da Souad – CLIQUE AQUI, embora possa realmente parecer à primeira vista.
O livro de Hosseini conta a história dramática de duas mulheres bem diferentes, Mariam e Laila, unidas num destino que elas não tiveram a chance de escolher. Duas mulheres vitimadas pela intolerância de um país atrasado, de um país com as suas tradições absurdamente distorcidas, de um país ferido pela guerra de homens inescrupulosos e mercenários – os mesmos que no último dia 27/12 assassinaram a corajosa ex-primei
ra ministra do Paquistão, Benazir Bhutto.
Mariam, por exemplo, filha ilegítima de um empresário endinheirado e dono de um cinema, viveu metade de sua vida num casebre isolado numa cidade próxima à fronteira com o Irã, quando Jalil, o seu próprio pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro estúpido de 45 anos. Detalhe Mariam tinha apenas 15 anos quando foi obrigada a casar-se, pois era “uma mulher que pedia muito pouco da vida, que nunca incomodava ninguém e nunca deixava transparecer que ela também tinha tristezas”. O tal marido, um brutamonte ignorante, que antes mesmo do regime dos talibãs já obrigava a mulher a vestir a opressiva burca. A situação piora quando, depois de uma série de abortos, fica provado que Mariam jamais daria o sonhado herdeiro ao marido. Rashid passa a destratá-la e a espancá-la. Paralelamente ao drama de Mariam, o autor narra a história de Laila, a esperta filha de um casal de classe média de Cabul (filha de um professor que sempre lhe dizia que “ela poderia ser tudo o que quisesse” e uma mãe ausente que vivia preocupada com os outros dois filhos que partiram para lutar contra os soviéticos e esquecerá que a menina precisava tanto de sua atenção quanto os rapazes).
E ao contrário de Mariam, Laila freqüentava à escola, inteligente, sonhava conhecer países distantes e com o seu amigo Tariq (aliás, o melhor persoagem de todo o livro – um garoto que perdeu uma das pernas quando pisou numa granada e passou a usar uma outra mecânica, um garoto que não tinha dores de cabeça, que, um dia, disse que, na Sibéria, as melecas viravam gelo antes de cair no chão), teve, apesar da miséria imposta pela guerra, uma infância bem interessante. Uma cena muito legal é quando Tariq defende Laila contra um garoto inconveniente usando a sua perna mecânica. Hilário!
Mas os sonhos de Laila são abreviados quando, aos 14 anos, sua casa é explodida por um foguete, em 1992, durante as g
uerras civis que dilaceraram o país. Seus pais morrem no bombardeio – e Laila ainda por cima estava grávida de Tariq, que se exilou com a família no Paquistão. Sem opções, ela acaba se tornando a segunda mulher de Rashid.

Com uma atenção exaustiva a esses detalhes cotidianos, o autor oferece um retrato realista da vida no Afeganistão ao longo das últimas décadas – um conturbado período que inclui a invasão soviética, guerras civis, o autoritário regime talibã e a ocupação americana. Despertada pelos eventos de 11 de setembro de 2001, a curiosidade ocidental pela realidade dos países islâmicos responde por parte do sucesso dos livros de Hosseini, pois a vida do povo em Cabul é mesmo uma coisa bastante exótica para os nossos padrões ocidentais. As vestes, a culinária (tem até referências de pepino cortado na jarra com iogurte diluído e salgado – não consigo me imaginar comendo isso!) e o comportamento dos personagens que é uma coisa curiosa, como o próprio Tariq falando pra Laila que via a própria vida como se fosse uma “corda apodrecida que arrebenta, se desfaz, com todos os fios se soltando”. Mas realmente “o tempo é o mais inclemente dos incêndios”.
Apesar de ser uma história demasiadamente sofredora, o livro é absurdamente poético: “Não se podem contar as luas que brilham em seus telhados, nem os mil sóis esplêndidos que se escondem por trás de seus muros”. Mas as vidas de Laila e Mariam acabariam se encontrando, a amizade que surgiria entre essas duas mulheres é o centro do romance. O final de “A Cidade do Sol”, porém, é ensolarado, esperançoso. O último capítulo do romance aposta no futuro do país. Com irresistível ingenuidade, o renascimento do Afeganistão é representado nas cápsulas vazias de mísseis – sobras da guerra civil – que os habitantes de Cabul transformaram em vasos de flores (lindo isso!). E no cinema que pode exibir Titanic livremente.
Em suma: a vida nesta “cidade do sol” é uma resposta “àqueles que se queixam demais”, uma história que envolve os leitores coma a força do desespero humano numa descrição poderosa e perturbadora da violência e da guerra, mas também é uma evocação da vida e da esperança dentro de cada um de nós. A única coisa que eu não gostei no livro foi a quantidade de termos do Afeganistão que mereceriam uma legenda com tradução. Algumas freses não consegui entender nada. (“A CIDADE DO SOL” de Khaled Hosseini, 368 págs. São Paulo, 2007 – Nova Fronteira).

>>> Visite: www.literaturaclandestina.blogspot.com
Elenilson Nascimento
Publicado no Recanto das Letras em 25/11/2008
Código do texto: T1302727

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Comoe screver artigos científicos


Toda vez que vou na livraria Saraiva ( tem sido a minha preferida) gasto horrores por la, tenho sempre que comprar livros e são varios que me chamam atenção!!!

Este foi o ultimo que comprei e tem sido muito importante, pois é muito dificil escrever!
Eu gostei muito porque parecer que o Autor esta conversando com voce bem claramente, o livro teme espaço no fim de cada capítulo pra se fazer as anotações e ainda voce vai praticando a escrita durante o livro com as dicas que ele da.


Recomendo esse livro, de uma leitura muito facil e estimulante!

O Guardiao de memórias





Com mais de três milhões de exemplares vendidos nos Estados Unidos, O Guardião de Memórias é uma fascinante história sobre vidas paralelas, famílias separadas pelo destino, segredos do passado e o infinito poder do amor verdadeiro. Inverno de 1964. Uma violenta tempestade de neve obriga o Dr. David Henry a fazer o parto de seus filhos gêmeos. O menino, primeiro a nascer, é perfeitamente saudável, mas o médico logo reconhece na menina sinais da síndrome de Down. Guiado por um impulso irrefreável e por dolorosas lembranças do passado, Dr. Henry toma uma decisão que mudará para sempre a vida de todos e o assombrará até a morte: ele pede que sua enfermeira, Caroline, entregue a criança para adoção e diz à esposa que a menina não sobreviveu. Tocada pela fragilidade do bebê, Caroline decide sair da cidade e criar Phoebe como sua própria filha. E Norah, a mãe, jamais consegue se recuperar do imenso vazio causado pela ausência da menina. A partir daí, uma intrincada trama de segredos, mentiras e traições se desenrola, abrindo feridas que nem o tempo será capaz de curar. A força deste livro não está apenas em sua construção bem amarrada ou no realismo de seus personagens, mas, principalmente, na sua capacidade de envolver o leitor da primeira à última página. Com uma trama tensa e cheia de surpresas, O Guardião de Memórias vai emocionar e mostrar o profundo - e às vezes irreversível - poder de nossas escolhas.
um livro a ler


___________________________________________________________________________
Confesso que nao me envolveu muito esse livro, o final ate que e bom, mas ate chegar la....!!!


Pelo menos sei que nao quero nunca ter segredos com minha família, isso realmente desestrutura todo mundo.


Esta ai mais uma dica!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Porque os Homens Fazem Sexo e as Mulheres Fazem Amor







Sempre tive vontade de ler esse livro...ate que um dia baixei da internet, mas me decepcionei um pouco com essa parte?(pg 58)

Sabe porque Moisés passou 40 anos vagando pelo deserto? Por que se recusava a pedir informação


Mas vale a pena ler por ser bem informativo (cientificamente), mas um pouco repetitivo (pelo menos eu achei!)

O livro fala de uma maneira divertida sobre as diferenças entre homens e mulheres. Explicando porque as mulheres falam muito, são mais sentimentais, sensitivas, conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo, como assistir tv, falar ao telefone, cozinhar, e porque os homens tem uma visão mais espacial do mundo, conseguindo manobrar carros facilmente, achar locais em mapas e atrapalham-se tratando de atender a um telefonema com um rádio ligado.Explica a evolução masculina e feminina desde os primórdios – onde o homem trazia a comida, caçando, e a mulher cuidava da casa e dos filhos, cozinhando, etc.Fala do homossexualismo tanto masculino como feminino, sendo alterações hormonais, genéticas e remédios que alteram o metabolismo podendo causar transformações.No decorrer do livro encontra-se um teste que mede o grau de masculinidade da mulher, e feminilidade do homem, com perguntas sobre rotina diária, preferências e como agir numa situação.As mulheres desenvolveram o dom de conseguir conciliar várias tarefas ao mesmo tempo com o passar dos séculos, elas sempre desempenharam tarefas múltiplas como cuidar dos filhos, da casa, da alimentação, da roupa. Já os homens ram eram encarregados da caça, pesca, e aí desenvolveu atividades mais voltadas ao controle do espaço físico.Uma mulher pode achar um fio loiro de cabelo num paletó, mas é capaz de bater o carro ao entrar na garagem. Perder a chave na bolsa e ter que tirar tudo para achar a mesma.No sexo as mulheres vão para a cama porque gostam do parceiro, os homens vão para a cama porque chegar ao orgasmo é aliviar a carga de estresse, e quando é atingido, geralmente eles viram para o lado e dormem, atitude na qual muitas mulheres reclamam e sentem-se mal por isso, pois o ato sexual para elas é algo que envolve sentimento, sendo diferente deles, ou do jeito que eles deixam a entender pelas atitudes.O livro coloca a necessidade masculina de ter várias mulheres e explica esta atitude como algo que vem de séculos, onde a reprodução e o instinto comandavam a atitude masculina hoje. Quanto mais mulheres eles mantiverem relações melhor. Já não conseguem manter várias relações com a mesma mulher num dia só; mas num dia, conseguem manter várias relações com mulheres diferentes.Já as mulheres não são encarregadas de fecundar, são as fecundadas, então elas não possuem a necessidade de vários parceiros.Então o livro concilia as diferenças entre os sexos, colocando situações divertidas e assim esclarecendo as diferenças entre o homem e a mulher, onde todos tentam igualar os sexos, mostrando que são bem diferentes, mas nada impede de lutar pelos direitos iguais, e também conciliar essas diferenças entendendo o porquê das atitudes esquisitas, desnecessárias, inexplicáveis, facilitando o convívio entre os dois sexos de uma forma saudável, sem dúvidas.

[ Resumo tirado do site: www.pt.shvoong.com]

sexta-feira, 10 de abril de 2009

O Homem que Matou Getulio Vargas






Livro escrito por Jô Soares que conta a história de um jovem que tem o sonho de ser um terrorista, ele entra para uma escola onde se destaca pelo seu desempenho com as armas, ganha a confiaça de lideres dessa escola. Ele so tem um probleminha: tem 6 dedos em cada mão o que o torna muito desastrado.

Dimitre ( o jovem terrorista) é filho de mae brasileira e Negra que foge com um circo e vai morar em outro país. Antes de sair a procura de seus alvos a mae de Dimitre conta que Getulio Vargas e seu tio. Depois de passar por varios países, de conhecer varias pessoas como:
Marta Hari , Al Capone e Pequetita e de passas por varias encrencas, Dimitre chega ao Brasil com seu principal objetivo assassinar Getúio Vargas que ja está em decadencia política.

Esse livro de Jô Soares é muito inteligente, pois ele colocou um personagem ficticio dentro da história convivendo com pessoas reais.



O fim do livro so mesmo voces lendo pra saber, mas so digo uma coisa...Ele foi desastrado mais uma vez!


¬¬ Eu recomendo!!

quinta-feira, 9 de abril de 2009

saraiva


To postando hoje somente pra dizer que em Manaus foi inaugurado uma loja Saraiva, fiqei muito feliz em saber que temos agora uma livraria de grande porte e nao vamos mais precisar esperar pelo frete...hehehhe!!

A livraria esta linda...milhões de livros para todas as idades.

Comprei o Guardião de Memórias que estava querendo a muito tempo, começarei a ler em breve.

EM breve tambem estarei comentando os dois livros que estou lendo, falta pouco pra acabar...me falta so tempo.


Ate mais...e nao esqueçam visitem a Saraiva!

segunda-feira, 16 de março de 2009

Arthur Rimbaud - Uma temporada no Inferno





Esse livro eu comprei em São Paulo e quando eu vi fiquei louca por ele. Estudei sobre esse autor e suas obras na faculdade e tudo se torna interessante por ser um jovem que escreve divinamente bem conseguindo assim reconhecimento entre os mais nomiados escritores.
Realmente Rimbaud foi um prodígio da Literatura!!! O livro e bilíngue e foi a única coisa que nao gostei...hehhee...pois sempre que lia a parte francesa meus olhinhos corriam para a traduçao para saber se estava lendo tudo direitinho!!! :)) __________________________________________________________________________ Uma temporada no Inferno de 1873 é o relato em prosa do homemperscrutando suas riquezas e origens. De uma riqueza imaginária sem precedentes na Literatura, os textos desse livro visitam sonhos e terras distantes, desejo de solidão e sede por conhecimento. Dele emerge um homem rebelde e aventureiro, vivendo - como dizia Verlaine - a própia vida inimitavel Vale a pena ler esse livro!!!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Marley e Eu







Ontem estava tendo planejamento na escola que trabalho, e começou a falarem de livros, livros , livros...Minha mente começou a viajar por esse livro que estava lendo (MARLEY E EU).
Comecei a perceber que sou apaixonada por livros.

Bem esse livro eu comprei no catalago da AVON, acho q todas as mulheres olham esse catalago e compram todos os tipos de maquiagem, batons , perfumese cremes...mas eu fui comprar logo um livro em um catalogo de beleza???

Deixando de lado tudo isso...

Eu vi primeiro o filme pra depois ler o livro. Depois do fillme me apaixonei mais ainda por esse cachorrinho, mas eu achei que o livro retrata uma coisa que nao percebi tanto no filme. A FAMÍLIA.
O aspecto da familia crescendo e se formando com tres filhos e sendo completada com um cachorrinho mas danado que as tres crianças juntas, os problemas que aparecem apos e durante o parto dos filhos, e Marley sempre junto e protetor das crianças.
E uma história totalmente apaixonante e engraçada, acho o livro mais engraçado que o filme!!!
Apesar do final triste vale a pena ler o livro!!!

^^

Jenny e John são recém casados vivendo o início apaixonado de sua vida conjugal, ambos são escritores de jornal (ela uma critica de cinema e ele escritor de notícias locais), ambos tiveram grandes cachorros durante a infância, ambos gostavam de Bob Marley e ambos se amavam. Após dar uma planta comigo-ninguém-pode a esposa o casal, em especial Jenny entra em um dilema, agradecida pelo presente do marido, ela que não tinha muito afinidade com plantas acabou por regar demais o presente todos os dias, terminando por matá-la. A partir do acontecimento seu instinto maternal fala mais alto e ela questiona John o que esse seu mal jeito poderia ocasionar caso ao invés da planta fosse seu filho.Jenny propõem a John que eles comprem um cachorro que servira como “teste” e “treino” para que o casal pudesse se preparar para quando quisessem ter um filho. Acordo feito e cumprido! O casal visita um pequeno sitio e compra o pequeno Marley (nome escolhido após uma pequena discussão, mas que teve resolução encontrada no cantor preferido do casal) um filhote de labrador, alegre, brincalhão e hiperativo que logo após ser desmamado passa a morar com o casal.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Lingua de Sinais


Em primeiro lugar quero me desculpar por ter sumido, minha demora em postar um novo livro deve-se justamente a estar lendo muito, sim tenho lido bastante ultimamente....Muitos artigos, pesquisa, internet etc.
Tanta leitura é para entrar em um mestrado e fazer meu projeto de pesquisa, e tambem começar a fazer meu TCC da Especializaçao que espero terminar logo!

Teve uma promoçao em uma livraria da cidade e nao pude perder, quando ja estava indo pagar os livros vi esse que me chamou atençao...TUDO QUE EU QUERIA!!!. Sempre fui apaixonada por idiomas e a Lingua de Sinais é mais uma paixao (apesar de nao saber nada ainda), foi ate por esse motivo que comecei a fazer minha especialização.
No curso tem uma materia sobre metodologia para surdos...ME APAIXONEI!!!!, e decidi fazer meu artigo sobre isso mesmo...COMO DAR AULAS PARA SURDOS, QUAL METODOLOGIA E DIDATICA A UTILIZAR??
Foi ai que este livro caiu do ceu para mim.
Ele é bem pequeno, mas tem um mundo de informaçoes (sinto que terei que ler novamente para poder aprender mais). A história sobre o ensino atraves da Lingua de Sinais e muito grande e muito antiga e poucos conhecem.

Esse livro foi organizado por: Patríci Farias Fantinel Trevisan, Rosana Valéria Farias da Silva, Sebastião Reis de Oliveira, com apois da Universidade Estadual do Amazonas (UEA) e Livraria Valer.

Se eu demorar a postar novos livros é porque estarei empenhada nos meus projeto.
E nao esuqeça, voce tambem pode indicar um livro!!

;)